.

.

Seleccione Linguagem

Mensagem de Mestre de Shaanxi para os estudantes do Tao do I Ching

                                   Montanha Hua Shan na Província de Shaanxi - China.

Não se surpreendam com a revelação da verdade, do Tao do I Ching. Voltem suas mentes para a fonte de Luz que jorra incessantemente do Universo em nossa direção. A Luz que dimana do coração do Tao.
Aprender o Tao do I Ching, entender sua mensagem, equivale a falar o dialeto da natureza, da sabedoria. Não há mistérios para a verdade e para quem busca por ela.
No primeiro dia de aula, um bom professor de línguas, entra na sala falando a língua que eles, estão prestes a aprender. Isto é porque o professor quer que já desde o início o aluno possa ir familiarizando com o que vai aprender. Venham para a aula, se esforcem para aprender; um passo na direção da Luz... Iluminará todo o trajeto.
Alunos do dialeto da natureza, da sabedoria, da língua do Tao do I Ching, subam os degraus a sua frente, a escada há de se iluminar. Digam: Que a verdade me seja revelada; ela será! Que a minha consciência se expanda; ela se expandirá! Que eu compreenda o Tao como se fosse uma criança falando comigo. Que minha consciência se expanda como o Sol do meio- dia. Que minha Luz brilhe; ela brilhará! Deixem a Luz crescer...
Primeiro ascendamos um fósforo, depois uma vela, após uma lâmpada, duas, três... Dez. Um neon... Dois, três... Dez. Deixemos o pássaro voar cada vez mais alto. Fortaleçamos suas asas, e se elas estiverem crescendo ainda... Deixem que cresçam; Sem medo das alturas, voem alto e feliz em direção à Luz. Dependendo do “corpo” que escolhemos para ir em direção ao sol; o sol não nos queimará.  Façam escolhas sábias!
Quando a neblina ameaçar impedir a visão para o lago, espere ela passar. Ela vai se dissipar, tenha fé! Essa é a Lei do Tao. A Luz sempre retorna! Retornem para um contato maior com a natureza. Os pássaros entendem perfeitamente a Sabedoria do I Ching, é são excelentes mestres para ensinar o Tao.
Acordam com a Luz. Vivem na Luz. Comemoram o nascer do sol. Fazem a maior festa ao nascer do dia. Voam livres, confiantes e buscam as alturas, porém sabem permanecer em baixo quando preciso, sem lamentações. Ao entardecer, voltam para suas casas, as árvores, seus ninhos. Quando a escuridão reina, ficam quietos esperando novamente o Retorno da Luz. Sabem agradecer o dia de atividade, abençoam-no com seu canto quando ele finda. Retornam com a Luz à vida, a atividade novamente. Isto é estar em harmonia com o Tao. Fazem o que devem e podem quando assim a natureza permite.
Os pássaros conhecem o Tao do I e o praticam. Têm fé na vida, no Poder Superior e sabem que são amados, protegidos pelo Tao. “Cada um segue aquilo que lhe corresponde.” São como “Dragão voando nos céus.” Este é o modo supremo de governar.  Governar o que? O nosso destino, a nossa mente, o nosso caminho. Voem, voem alto! Os pássaros têm fé, o Dragão não tem medo.
“Quando o Criativo, o grande está em mutação e todas as linhas são nove a ordem se estabelece ao mundo.” “Quando o Criativo, o grande, está em mutação e todas as linhas são nove percebe-se a Lei dos Céus.” “Dragão voando nos Céus” Esta é a posição apropriada ao caráter celestial. “O Grande homem (o homem superior), em seu caráter, se põe em harmonia com o céu e a Terra, em sua luminosidade, com o sol e a lua, em sua coerência, com as quatro estações, na boa fortuna e no infortúnio que gera, com os Deuses e espíritos. Quando ele antecipa a ação do Céu, o Céu não o desmente. Quando ele segue o Céu, adapta-se ao tempo do Céu. Se nem o Céu lhe oferece resistência, quanto menos o farão os homens, os deuses e os espíritos.” Hexagrama (1).
Já viram, bem cedo, pela manhã, a neblina se desfazendo, quando o sol retorna de seu descanso cósmico?  Essa é a mutação em pleno trabalho. As gotas de orvalho, saciando, suavizando a secura da Terra e tudo que há nela? Eis o Tao em seu trabalho, o espetáculo da natureza! O homem ocupado demais, estressado demais, extenuado com as futilidades que busca para satisfação do ego, não pode ver a mutação que acontece todos os instantes bem diante dele.
Em sua Doutrina do Meio (Caminho do Meio), Confúcio diz: “Sob o Céu, somente o indivíduo possuidor da lealdade e sinceridade mais completa é capaz de desenvolver totalmente sua verdadeira natureza. Quando é capaz de desenvolver totalmente sua verdadeira natureza, é capaz de desenvolver totalmente a natureza de outros indivíduos. Quando é capaz de desenvolver totalmente a natureza de outros indivíduos, é capaz de desenvolver totalmente a natureza de todas as criaturas. Ao fazê-lo, é capaz de tomar parte nas funções de nutrição e transformação do Céu e da Terra e se torna um com o Céu e a Terra. Hexagrama (61).
Que sejamos um com o Céu e a Terra. Que a fonte jorre incessantemente em nossos corações e mentes. Que possamos conhecer a verdade!
Carla Cristina Filizzola. 

Os quatro sábios do I Ching




Os Mestres que estão constantemente do plano espiritual orientando o consulente do I Ching:


Fu Hsi (O Senhor do Grande Céu): estudou o céu, a terra, os seres vivos e criou os primeiros símbolos do  I Ching  – o Tai Chi (Yin - Yang), os oito trigramas e 64 hexagramas. 

Rei Wen: Fundador da Dinastia Chou (1.121 - 256 a.C.). Autor dos 64 “Julgamentos” dos hexagramas — os comentários sobre cada hexagrama.

Duque de Chou (Rei Wu de Chou): Filho do Rei Wen. Escreveu os “julgamentos das linhas”, que determinam os significados das 384 linhas em cada hexagrama.

Confúcio : Viveu entre 551 - 479 a.C. Um dos maiores filósofos chineses de todos os tempos. Escreveu sete obras sobre o I Ching num total de dez volumes, chamados de “Dez Asas”.

Procurem conhecer a vida e a obra destes grandes homens, honrá-los, reverenciá-los sempre antes da consulta ao I Ching e após agradecê-los eternamente.

Carla Cristina Filizzola.


Pesquisar neste blog