.

.

Seleccione Linguagem

Livro de Sabedoria



De importância muito maior que o uso oracular é o uso do Livro das Mutações como Livro de Sabedoria. Lao-Tse conheceu esse livro e alguns de seus mais profundos aforismos nele se inspiraram. Confúcio também teve contato com o I Ching, ao qual dedicou longa reflexão. Ele provavelmente redigiu alguns dos comentários de interpretação encontrados no I Ching, enquanto que outra parte desses comentários deve ter transmitido a seus discípulos em aulas.


Foi a versão do Livro das Mutações editada e comentada por Confúcio que chegou até o nosso tempo. Procurando-se os conceitos básicos que permeiam o livro, pode-se permanecer dentro dos limites de alguns poucos porém amplos conceitos.
O ensinamento mais importante do I Ching é a mutação. Nos Analetos diz-se que Confúcio, diante de um rio, disse: "Tudo segue, fluindo, como esse rio, sem cessar, dia e noite". Isso exprime a idéia de mutação.


Diz o I Ching que aquele que percebe o significado da mutação, fixa sua atenção não mais sobre os entes transitórios e individuais, mas sobre a imutável e eterna Lei que atua em toda mutação. Essa lei é o Tao de Lao-Tse, o curso das coisas, o princípio Uno no interior do múltiplo. Para que possa tornar-se manifesto é necessário uma decisão, um postulado. Esse postulado fundamental é o "Grande princípio primordial" de tudo que existe, "T'ai chi" - que no sentido original significa "viga mestra".


Extraído do Livro das Mutações de Richard Wilhelm - Editora Pensamento.

O valor da cautela como ensinamento do Livro das Mutações



As mutações surgiram na época em que a casa Yin chegava a seu término, e o modelo da casa Chou estava em ascensão, ou seja, a época em que se confrontavam o Rei Wen e o tirano Chou Hsin.

Por isso os julgamentos do livro das mutações, tantas vezes advertem contra o perigo. Aquele que está consciente do perigo procura criar sua própria paz; aquele que o encara
despreocupadamente causa sua própria queda.

Grande é o TAO deste Livro; não omite nenhuma das cem coisas. Preocupa-se com o começo e o fim e está contido nas palavras "Sem culpa". Este é o TAO das mudanças.

O Rei Wen (Wen não chegou a ser Rei propriamente. O título foi atribuído pelo filho, Duque de Chou, como homenagem póstuma), fundador da dinastia Chou, foi feito prisioneiro pelo último governante da dinastia Yin, o tirano Chou Hsin.

Rei Wen teria composto os julgamentos correspondentes aos diferentes hexagramas durante o período em que esteve no cativeiro. Em virtude do perigo da situação em que se encontrava, todos os julgamentos têm como ponto de partida uma cautela que procura permanecer livre de culpa, atingindo, assim, o sucesso.

No hexagrama 64. Wei Chi/Antes da Conclusão, os Trigramas: Acima LI/Fogo.
Abaixo K'AN/água. O hexagrama fala do valor da cautela, usa o simbolismo da raposa.
Explica que os pré-requisitos do sucesso são reflexão e cautela.

JULGAMENTO

Antes da conclusão. Sucesso.
Porém, se a pequena raposa,
quase ao completar a travessia,
deixa sua calda cair na água,
nada será favorável.

Na vida é necessário caminhar com toda cautela, como uma velha raposa andando sobre o gelo. Na China, a cautela da raposa ao cruzar o gelo é proverbial. Seus ouvidos estão atentos ao menor estalo de gelo partindo-se, enquanto procura, cuidadosa e intensamente, os lugares mais seguros. Uma jovem raposa que ainda desconhece essa prudência avança audaciosa e pode cair n'água pouco antes de completar a travessia, molhando assim sua calda. Então, é claro, todo esse esforço terá sido inútil.

IMAGEM

Fogo sobre a água: a imagem das condições, Antes da Conclusão.
Assim, o homem superior é cauteloso ao diferenciar as coisas,
para que cada um ocupe o lugar que lhe é próprio.

Quando o fogo, que por natureza queima para o alto, está acima, e a água, cujo movimento é descendente, está embaixo, seus efeitos divergem e não se relacionam. Para que se possa obter um resultado, é necessário primeiro analisar a natureza das forças em questão, e qual a posição que lhes correspondem. Se essas forças forem exercidas a partir do local adequado, produzirão os efeitos desejados, e a "conclusão" será alcançada. Porém, para que o homem possa manejar corretamente as forças externas, é necessário, antes de tudo, que ele próprio chegue ao ponto de vista acertado, pois só a partir desse posicionamento poderá agir da forma certa.

Reflexão e cautela atitudes próprias ao Homem Superior. O I Ching nos aconselha perseverança neste caminho, para que a luz de uma personalidade superior possa brilhar e sua influência se faça sentir entre aqueles que crêem e buscam o Caminho Superior.

O Caminho do Homem Superior está em ascensão;
O Caminho do Homem Inferior leva à tristeza.




Fonte: O Livro das Mutações - I Ching - Prefácio de C. G. Jung - Richard Wilhelm -
Editora Pensamento.





Pesquisar neste blog